(Fonte: Profa. Dra. Luciana Barbosa)

Informamos à comunidade do CCA/UFPB sobre a oficialização da criação da Rede Internacional de Limnologia das Terras Secas (International Network on Limnology of Drylands, INLD). A INLD foi proposta com o objetivo geral de promover e incentivar a cooperação multidisciplinar para investigação dos padrões de funcionamento de ecossistemas aquáticos temporários e intermitentes de terras secas (drylands) internacionais.

A proposta da INLD foi discutida pela primeira vez durante o I Simpósio de Limnologia do Semiárido Brasileiro, realizado em Areia (Paraíba, Brasil) em 2016 por iniciativa de um grupo de limnólogos brasileiros. Atualmente, a proposta da INLD conta com representantes em todos os continentes, abrangendo países em desenvolvimento. A expansão da nossa rede ocorre atualmente através da discussão e envolvimento de pesquisadores dos continentes australiano, africano, asiático, europeu e americano, ou seja, regiões de abrangência de terras secas.

Desde a Convenção sobre as Zonas úmidas, assinada em 1971 em Ramsar (Irã), a conservação e a utilização sustentável das águas temporárias tem atraído a atenção de muitos países através de ações nacionais e de cooperação internacional. As mudanças ambientais, impulsionadas por distúrbios naturais ou antropogênicos bem como mudanças climáticas, vêm ameaçando a biodiversidade de inúmeras áreas úmidas intermitentes e efêmeras em todo o mundo, como pântanos, tanques de rochas, lagoas, lagos, rios, áreas rasas, lagoas de água salgada, estuários e águas costeiras em zonas secas.

A oficialização da INLD ocorreu a partir do apoio da comunidade internacional de limnológos (International Society of Limnology; SIL) onde criamos o Grupo de Trabalho de Limnologia de Terras Secas. O link para acesso ao Grupo de Trabalho é http://limnology.org/members/sil-working-groups/

A professora Luciana Barbosa ainda destacou que, em breve, o site e demais canais estarão no ar. Aproveitou a oportunidade para salientar o apoio fundamental do Dr. José Luiz Athayde (UFRN) e Dra. Tamar Zohary  (Israel Oceanographic & Limnological Research) e de todos os colegas de mais de 15 países que contribuíram para concretização da proposta.

Anúncios